Pesquisa

Carregando...

terça-feira, 18 de abril de 2017

Pro seu amor que acabou de chegar,


Pro seu amor que acabou de chegar,

Oi lindo, hoje é dia 13 de abril de 2017, exatamente as 20h35 e eu estou indo pra minha cidade. Você disse que não sabia quando eu leria esse texto né? Na verdade, não demorou muito, li faz um mês. Estava apenas esperando você perceber que eu sou seu amor. Não se preocupe, eu cheguei! E cheguei assim do nada, e é pra ficar.

A gente se conheceu pessoalmente em um dos seus restaurantes favoritos (eu acho) e você bem que acertou quando disse aplicativo online. Bom, acho que você procurou muito por mim por ai né? E foi bom saber que você estava desacreditado, pois cheguei pra despertar o seu melhor e te lembrar que a vida e o sorriso a dois é muito bom também. Você já sabe como são meus dias, já faz um tempo que seus “Bom dia, linda” e “Boa noite, minha linda” fazem parte da minha rotina. E sim, meu chefe me tratou super bem, apesar de jogar tudo para eu resolver. 

Sim lindo, muitos me prometeram flores e só me deixaram espinhos. Antes tivessem me prometido um coqueiro, pois assim eu saberia que seria meio “impossível” e talvez, não tivesse acreditado tanto.

Na verdade mesmo, eu não quero promessas, quero atitudes pois palavras vem e vão. Quero alguém que escolha ficar comigo e que tudo isso seja recíproco. Eu não sei exatamente quando ou como te chamei atenção, também não sei quando você pensou “Ah, acho que é ela!”. Só sei que foi tudo muito rápido e deu certo, alías muito certo, a sintonia bateu. Sabe aquela música ? “O que na vida ninguém fez você fez em menos de um mês”, pois é lindo, muito isso.

Obrigada por não desaparecer, escolher ficar e me conhecer melhor. Eu amo romances também, você já sabe. Podemos tomar vinhos, mas calma, eu fico bebada rápido, mas se você cuidar de mim depois, tudo bem. Filhos, até podemos ter, mas eu escolho os nomes tá ? Já tenho eles em mente faz muito tempo.

Você pode estar na minha frente quantas vezes você quiser, mas lembre-se que em algumas noites vou querer você atrás tá ?. Não tenho pressa, por isso, vou esperar a rosa, outros buquês de rosas ou qualquer outra florzinha, afinal, você sabe, eu as amo. E só com meu olhar e meu sorriso, você vai ter as respostas de todas suas perguntas.

Sim lindo, eu só vou entrar na sua vida se for pra te fazer o homem mais feliz desse mundo, e é por isso que eu estou aqui e quero/vou continuar.


Amor, já cheguei!


Beijos na boca, TK.

Carta para o amor que vai chegar.


Pro meu amor que ainda não chegou. 
Oi Amor, hoje é dia 31 de Janeiro de 2017, exatamente às 2:00 da manhã. Não sei quando você lerá esse texto, pode ser amanhã ou há alguns anos, mas eu sei que você vai chegar, eu tenho essa certeza no meu coração.

Talvez eu te conheça amanhã na fila do pão ou no meu restaurante favorito, talvez até em algum aplicativo online. Queria muito saber como está seu dia, se você se saiu bem naquela prova que você tanto estudou, se o seu chefe lhe tratou bem.

Sei que você está cansada de “caras” que lhe prometem tudo e não cumprem a metade, eu sei, eu também estou cansado. Cansado de pular de encontro em encontro e chegar em casa e pensar “Foi legal, mas...". Não consigo ser um cara “casual” que fica e no dia seguinte some. Gosto de romance, gosto de ouvir aquela música tomando um vinho e me imaginar com você dançando no meio da nossa sala, nossos filhos rindo e achando “cafona", é isso que quero. 
Um dia eu vou estar na sua frente, em qualquer lugar do mundo. Vou estar com uma blusa, um jeans e uma rosa na mão para te fazer uma pergunta: Aceita namorar comigo, casar comigo e ser a mulher que vai fazer desse homem o mais feliz do mundo? 

Amor, chegue logo!

A.B

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Perdoar é se lembrar sem se ferir

Dia desses, passeando pelo Instagram, me deparei com uma frase de um autor desconhecido: “Perdoar não é esquecer: isso é amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer: isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento…”
E parei para pensar no que a frase diz. Que o perdão é uma decisão nem sempre é simples, nem sempre fácil mas ainda assim, uma decisão de seguir em frente sem mágoa ou dor. Não é simplesmente “deixar pra lá”, deletar e não pensar mais no assunto. É sim, conseguir encarar a questão de frente e não ter mais sofrimento ao confrontá-la.
Para isso, é preciso rasgar-se e então remendar-se. Escancarar todas as feridas para depois curá-las. Ousar remover todos os curativos para então ventila-los.
Quem concede o perdão beneficia a si mesmo. Pois ao se livrar de lembranças dolorosas, mágoas rasgadas e ressentimentos embolorados, percebe que se curou.
Ninguém esquece daquilo que lhe feriu, que doeu, que dilacerou. Mas a gente pode superar. Pode enxergar o que rasgou sem se machucar. Pode entender o que morreu sem se enlutar. Pode conviver com o que restou sem se magoar. Isso é perdoar. Isso é permitir que a história siga seu curso trazendo uma lembrança que não pesa mais.
Na vida é necessário perdoar sempre. Perdoar a finitude das coisas, perdoar a pressa do tempo, perdoar as despedidas e os pontos de vista, perdoar erros bobos ou grandiosos, perdoar as ausências, perdoar a falta de jeito e a indiferença. Sem o perdão, ficamos presos a um lugar de falhas e faltas. Não seguimos em frente, não superamos, não evoluímos.
É preciso ser leve. Absolver a existência de culpas que nos atam a um lugar que não existe mais, e livrar nossa história de ressentimentos antigos. Se sua infância foi dolorosa, se seus pais não cuidaram de você com cuidado, se você sofreu bullying na escola, se seu primeiro namorado lhe traiu, se sua amiga lhe humilhou… tudo isso passa a ser irrelevante quando você aprende a perdoar. Quando você entende que a dor pelos fatos ocorridos pode ser carregada ou não. Quando você percebe que as feridas fazem parte da sua história, mas é você que decide como quer lidar com elas.
A gente não se esquece dos cacos de vidro que pisou, mas a cura chega quando a gente volta a caminhar sem dor. A gente se lembra, mas não se importa mais. Isso é perdoar. Isso é permitir que sua história siga sem lhe machucar.
Talvez seja hora de encarar aquilo que não sabemos lidar e simplesmente perdoar. Iremos descobrir que não precisamos esquecer pra seguir em frente, e sim decidir que isso não tem o poder de nos machucar mais.
O perdão é uma escolha. Uma escolha de viver sem dívidas com o passado, uma escolha de se desvencilhar das mágoas e ressentimentos e, principalmente, uma escolha de viver sem dor.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Viver longe dos irmãos

É viver meio longe de nós mesmos

Houve um tempo em que morar na mesma casa é que era o problema. Começamos com as disputas pelos brinquedos, depois pelo controle remoto, evoluindo para a trilha sonora no carro e o tempo de ocupação do banheiro. Tudo era razão para eclodir um embrião de guerra civil.
 Todos nós já desejamos, do alto da nossa imaturidade convicta, que eles desaparecessem daquela casa. Que eles não acabassem com as bolachas recheadas, não comessem o último pedaço da lasanha, nem sumissem com as nossas meias preferidas. Já gritamos enfurecidos, dizendo que preferíamos dividir quarto com um animal qualquer do que com eles.
 E então os anos passaram e finalmente saímos de casa. Nós ou eles, ou nós e eles. Carreira, estudos, casamento ou qualquer outra razão fez com que aquele velho ninho da discórdia passasse a fazer parte apenas da memória e não mais de um dia a dia conturbado.
 Pareceu-nos, muitas vezes, na ignorância da infância ou na estupidez da adolescência, que a felicidade seria muito mais viável sem a presença diuturna daquelas criaturas que insistiam em invadir nosso espaço, apesar de todas as ameaças que julgávamos lhes fazer.
 Mas essa ideia, como tantas outras que imaginávamos sobre a vida adulta, era uma cilada.
 Hoje descobrimos que é extremamente dolorido ter que aproveitar a presença deles em eventos com hora marcada para terminar. Almoços, jantares, visitas. Que coisa sem cabimento. Eles têm hora para ir embora? Eu tenho hora para ir embora? Não, espera aí. Irmãos não foram feitos para ir embora. Foram feitos para ficar aqui, para podermos brigar sem pressa, ofender sem querer e amar sem prazo.
 Agora nos flagramos adultos, acelerando as conversas quando nos vemos, tentando aproveitar-nos ao máximo, lutando contra o relógio. Nos vemos tapando buracos com mensagens de whatsapp e linkando seus nomes em publicações de redes sociais que só eles entenderão. E às vezes, como quem sente uma pontada no peito, nos damos conta de que isso é tão, tão pouco.
 As distâncias variam. Alguns moram a 50 metros, outros a 50km. Outros mais sofridos vivem a 500km ou 5.000km. Em sua medida, todos sabem como doer. Os beliscões de antigamente foram substituídos por abraços sedentos. E nós descobrimos que os abraços raros doem muito mais do que os beliscões raivosos.
 É bom saber que todos tomamos algum rumo, ainda que torto. É bom ver que a vida de cada um de nós caminhou. Mas é quase insuportável a ideia de tornar-se um espectador na vida de um irmão. Logo nós! Logo nós que sempre fomos os protagonistas de todos os espetáculos e shows de horrores das vidas deles… Logo nós. 
Irmãos nunca deveriam ficar longe uns dos outros. Juntos sempre foi melhor. Brigando, criticando, estapeando. O problema é que a vida adulta não nos faculta o luxo do perdão automático, nem da memória curta. Talvez por isso o tempo nos obrigue a aceitar alguma distância. Talvez, depois de abandonar a infância, a distância seja exatamente o que nos mantenha mais unidos. 
Não sei. Sei que, de um modo ou de outro, machuca. Ir embora sem conversar tanto quanto queria, pedir socorro às tecnologias para sentir-se menos distante, não ter nem tempo para brigar e beliscar como sempre foi. Mas é uma daquelas dorzinhas de sorte. Da qual só usufrui quem teve a sorte de ter um irmão presente, que já foi odiável e irritante, mas que hoje é uma saudade diária e a certeza de que para estar junto não é preciso estar perto.
Ruth Manus

quarta-feira, 22 de março de 2017

Músicas de Março

Bom dia!!!
O Spotify virou meu melhor amigo haha, ele me faz companhia praticamente o dia inteiro. Vou postar pra vocês aqui, as músicas que ando escutando muito esse mês. Algumas novas, outras nem tanto.

Ed Sheeran - Galway Girl

Otto Knows - Next to me

Enrique Iglesias - Subeme La Radio

Adele - Water Under The Bridge

Olly Murs - That girl

Kygo & Selena Gomez - It ain't me

Nego do Borel - Você partiu meu coração

Luan Santana - Eu você o mar e ela

E vocês ? Estão escutando o que ? Me deem dicas de músicas!

Beijos, TK.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Se ele me ligasse...


Uma vez me perguntaram: 
- Se seu ex te ligasse agora e dissesse que te ama, o que você faria ?

Eu simplesmente sorri e respondi: 
- Eu atenderia e diria que o amo também, e muito. E que todo esse tempo que passamos juntos, foi bom demais. Que eu aprendi muito com ele e aprendo até hoje, e que eu pude aprender sim, o significado da palavra amor. E todo esse tempo, contribuiu para quem sou hoje, e no final das contas, tenho orgulho e gosto de quem sou. Diria também que tivemos um relacionamento maravilhoso e ele deu muito certo. Tinha gente até que falava pra mim que queria ter um relacionamento como o nosso. Ele marcou minha vida e vai estar sempre nas minhas lembranças, e hoje eu só tenho saudade boas.  Nossas risadas, nossas brincadeiras, nossas viagens, nossos amigos, nossos lugares secretos vão ser sempre lembrados. Tudo foi muito valioso  e genuíno para mim, e durou o tempo que era pra ser. Uma hora os nossos caminhos deixam de se cruzar mesmo, e cada um pede uma direção diferente. E assim foi, não caminhávamos mais juntos, talvez porque sua missão era uma e a minha era outra. Ele entrou no meu caminho e me fez amadurecer muito,aquele meu jeitinho mimado? Não tenho mais, foi embora. Ele me viu e me fez crescer de uma maneira sem fim. Agradeceria por isso e por todas as outras coisas que eu o agradeço em silêncio até hoje. Apesar de tudo, entendo que se não alcançamos os nossos objetivos juntos, é porque não era pra ser e ter a gente até o fim. O sentimento de carinho por ele, sempre vai existir e eu quero que ele seja muito feliz, não importa, como, com quem e onde for. Eu ainda o amo, hoje, de um jeito diferente, mas amo. Afinal, como cortar pela raiz se um dia já deu flor ?

Então, boa sorte lindo, boa sorte!
Tatiane Konishi

Filme: A Bela e a Fera

Oláa,
Esse fim de semana, eu tinha que ir no cinema assistir a "A Bela e a Fera". A Disney sempre encantando com seus filmes lindos. A Bela sempre foi uma das minhas princesas favoritas, e a Emma ficou perfeita no papel. O filme é lindo, eu super amei e recomendo, então corram pro cinema!


Sinopse: Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.

Olhem o Trailer do filme:


beijos beijos, TK.